A escolha do filósofo


Por que é sempre é assim? Aos inimigos, tudo! E aos amigos queridos, companheiros de cruz e estrada... a gente vai deixando para depois. É o que aconteceu com o nosso articulista, filósofo e fotógrafo de natureza, Alfeu Trancoso. Desde outubro de 2015, ele não está mais conosco assinando a coluna “Conversamentos”.


Alfeu: agora retratista da beleza humana
Mais sábio ainda, na altura hoje dos seus 72 anos, ele resolveu nos deixar para se dedicar totalmente à sua nova paixão: ser retratista, fazer retrato de gente, de tantos rostos que ele aprendeu a tornar mais belos, graças ao domínio da luz e aos enquadramentos naturais. 
Angela e Alfeu: companheiros de vida e casal lunar
Mesmo aposentado há mais de 20 anos, Alfeu continua dando aulas e encantando seus alunos como professor de Filosofia, Antropologia e Ética na PUC-MG. Vale lembrar que ele também ministrou educação ambiental para os nossos leitores desde a sua primeira coluna: “Reflexões no Cipó”, no então “Estado Ecológico”, suplemento que circulou em todas as luas cheias, durante nove anos, no jornal Estado de Minas.
A gente se mudou para o JB Ecológico, no Jornal do Brasil, onde também circulamos ao longo de outros nove anos. E o Alfeu continuou conosco, seja com suas fotografias ou falando sobre a natureza selvagem que se esconde e se protege mais bela ainda, distante do urbano e agressivo bicho homem.
Discípulo de Hugo Werneck e sempre ao lado de sua mulher, a bióloga Angela Lutterbach, ele também é “bruxo” moderno e líder amoroso de uma geração de ambientalistas amigos que, a cada lua cheia, ainda costuma subir e “uivar” juntos na Serra do Cipó, atual Parque Nacional, que Alfeu ajudou a implantar com suas lentes e palavras de profundo alcance. 
Por fim, é dele também a famosa e romântica fotografia de uma lua cheia amparada sobre uma flor do campo (detalhe abaixo), que tanto embalou e ainda embala nossos sonhos de jogar luz e poesia no debate ambiental, diante da ignorância que insiste em nos manter nas trevas, vide a desamorosa tragédia de Mariana. 
Ao nosso mestre, com carinho, como Wando nos ensinou a cantar: "Você é luz, é raio, estrela e luar".