Grande Extrema



Imagem: Divulgação
A cidade de Extrema, no sul de Minas, foi eleita a “Melhor do Brasil” na edição 2015 do Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal, elaborado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Considerada um exemplo de preservação ambiental, Extrema ficou à frente de 5.516 outros municípios avaliados, que abrigam 99,8% da população, numa reviravolta histórica: saiu da 569ª colocação, em 2005, para a primeira posição no ranking nacional este ano, devido ao seu alto nível de desenvolvimento comprometido com a sustentabilidade. Segundo seu secretário municipal de Meio Ambiente, Paulo Henrique Pereira, até o plantio de árvores em Extrema, seja no meio rural seja no urbano, é superlativo: mais de dois milhões.

Grande Valteres


Imagem: Arquivo pessoal
Encantou-se aos 61 anos, no primeiro domingo de dezembro, após uma luta silenciosa contra o câncer, o ex-diretor da hoje Fundação Zoo-Botânica de BH, Valter Ferreira Rodrigues. Mais conhecido como Valtinho ou Valteres, ele foi um dos servidores públicos que mais lutaram pela sobrevivência e acasalamento do gorila Idi Amin, até a sua época o único e solitário exemplar da espécie na América Latina.
O ex-diretor foi velado com uma camiseta estampada com a foto do animal, que trazia os dizeres herdados de Hugo Werneck: “Conhecer, preservar, amar e contribuir”. Afetivo, leal e companheiro, Valtinho tinha o hábito de levar e distribuir flores a cada uma das funcionárias da instituição, incluindo as da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a quem o antigo zoológico estava anexado. Alegria, generosidade, irreverência, simplicidade e bom humor, coisa rara hoje em dia, foi o que ele deixou de exemplo - inclusive no meio artístico-musical que ele frequentava e era querido. Razão pela qual os versos de Lô Borges, cantados por Beto Guedes, também acompanharam a sua despedida: “Com sol e chuva você sonhava que ia ser melhor./ Depois você queria ser o grande herói das estradas/ tudo que você queria ser”. E ele foi, até transbordante, em sentimentos e atitudes.

Com a homenagem também da Ecológico.

Novo corredor


Foi com muita simplicidade e esperança a solenidade de criação do primeiro Corredor Ecológico da Região Metropolitana de Belo Horizonte, envolvendo as prefeituras da capital e de Nova Lima, em parceria com o Governo do Estado, através do IEF. Segundo  protocolo de intenções assinado pelos seus respectivos secretários municipais de Meio Ambiente, o objetivo maior é conectar todas as áreas verdes e unidades de conservação existentes ao redor da Serra do Curral, sejam parques públicos ou Reservas do Patrimônio Particular de Proteção Natural (RPPNs).
Um sonho antigo dos ambientalistas, compartilhado tanto pelo prefeito Marcio Lacerda, como seu colega vizinho, Cássio Magnani. Ou seja, interligar, proteger e disponibilizar para a visitação pública, os “pulmões verdes” e as nascentes que ambos os municípios se orgulham de ter e ainda não se uniram ecologicamente, como acontece na natureza, separados pela ocupação urbana sem preocupação ambiental.
O evento foi realizado no Parque das Mangabeiras que, para quem não sabe, já foi uma mineração da própria prefeitura, chamada Ferrobel, e hoje, recuperada, é a maior área verde e de lazer da capital mineira. Como lembrou Roberto Messias Franco, atual secretário de Meio Ambiente de Nova Lima, essa conquista começou no governo Aureliano Chaves, quando o prefeito de BH era Luiz Verano e o presidente da Fundação João Pinheiro e depois secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, o professor José Israel Vargas. Foi o próprio Messias quem conduziu o processo de implantação do parque: “Foi um case de sucesso, tanto político quanto ambiental, que toda a população passou a desfrutar. Quem hoje não quer morar, ter a natureza e qualidade de vida ao seu lado?", disse ele.
É essa a breve história que resultou na beleza do maior parque público (Burle Marx) da Grande BH, tornado realidade na administração municipal Maurício Campos, com George Norman à frente da Belotur. Uma luta verde, enfim, que deu certo, apesar dos seus percalços, como tudo na vida, quando há sensibilidade e vontade política. Sobre o sonhado corredor ecológico metropolitano, o secretário e vice-prefeito Délio Malheiros garantiu: “Este é o primeiro passo para unirmos toda a fauna e flora ao redor da Serra do Curral”. A natureza agradece!


Mundo melhor



Muito apropriado, diante de tanto pessimismo e descrença da humanidade, o título do livro “O mundo pode ser melhor”, obra lançada pelo diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Fiat Chrysler Automobiles, Marco Antônio Lage, no último dia 30 de novembro, na Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte (MG). Em pauta, e descrita com maestria, a trajetória exitosa do programa de responsabilidade social “Árvore da Vida”, desenvolvido já há 10 anos com a comunidade do Jardim Teresópolis, de 30 mil habitantes, localizado em frente à sua fábrica, em Betim (MG). O lançamento foi concorrido e artisticamente inclusivo, como é a marca do programa sob a batuta do jornalista.
Imagem: Omenafoto

Charme no céu e verde no chão



Crédito: Bruno Senna Imagens
Sob patrocínio do Grupo Algar, o “Projeto BH 360°” levou todo o charme do balonismo ao Complexo Arquitetônico da Pampulha, na capital mineira. A ação foi o ponto alto do evento que, sob a ótica da sustentabilidade, também fomenta a campanha social “Doe, não deixe seu tênis parar”. A propósito, a AlgarTech, pertencente ao grupo, foi a grande vencedora do “Prêmio José Costa 2015”, do jornal “Diário do Comércio”, em parceria com a Fundação Dom Cabral, graças também à sua pegada socioambiental e inovadora. Entre suas ações sustentáveis está a instalação de painéis fotovoltaicos nos seus datacenters tanto em Campinas (SP) quanto em sua sede, em Uberlândia (MG), cuja estrutura responde a 30% do consumo de energia deles. Segundo o diretor Comercial e de Marketing da
empresa, Nelson Serranegra (foto), a luz solar é captada por meio de 1.224 painéis fotovoltaicos de 245 Wp de potência instalados no telhado do edifício, que ocupam 3.300 m2. A estrutura tem capacidade de gerar 450 MWh por ano. “Somos o primeiro datacenter verde da América Latina”, ressaltou.

Crédito: Pachelli

Fábrica moderna




Imagem: Divulgação
O CSEM Brasil, em sociedade com o BNDESPar, FIR Capital, Tradener e CMU Energia, inaugurou recentemente a SUNEW, mais moderna fábrica do mundo para produção de filmes plásticos orgânicos, capazes de converter energia solar em energia elétrica, e com diversas aplicações de mercado - os chamados módulos OPV (Organic Photovoltaics). A inauguração aconteceu na sede do CSEM Brasil, em BH, com a presença de autoridades do governo de Minas. Com estrutura tecnológica única, a fábrica tem capacidade produtiva existente em escala apenas na Europa e no Japão, potencializando a participação do Brasil no mercado tecnológico de energia solar fotovoltaica, que prevê crescimento médio de 10,5% nos próximos cinco anos. O CSEM Brasil, um dos sócios-fundadores da empresa, é o responsável pelo desenvolvimento científico da tecnologia, 100% feita no país.

Novo presidente da AMS


Imagem: Pedro Vilela
Diretor da ArcelorMittal Florestas, Maurício Bicalho (foto) é o novo presidente da Associação Mineira de Silvicultura (AMS), que representa as  principais empresas do setor de florestas plantadas, entre elas siderúrgicas e ferroligas, celulose e papel, painéis e produtos sólidos da madeira.

Com mais de 1,5 milhão de hectares de florestas plantadas, Minas Gerais é autossuficiente em madeira  vindas desses eucaliptos e pinus.  Em pauta, os desafios impostos pela escassez hídrica, a viabilização do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o protagonismo que a entidade já teve e lhe conferia valor, quando partícipe da luta ambiental e da conscientização ecológica do próprio setor.