Mudança werneckiana na CBMM


O empresário Tadeu Carneiro, a quem a CBMM deve a conquista, em 2012, do “III Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza”, na categoria “Melhor Empresa”, não é mais o presidente da mineradora. Seu sucessor é Eduardo Antunes Ribeiro, que já respondia pela Diretoria de Operações. 
Detalhe werneckiano:  em 2013, na quarta edição do prêmio, o homenageado especial, in memoriam, foi o Dr. Antunes, como era chamado Augusto Trajano de Azevedo Antunes, o primeiro empresário da mineração a pensar e praticar a sustentabilidade na Floresta Amazônica. Isso há mais de meio século. Leia-se o Projeto Serra do Navio, no Amapá, onde, além de acesso igual à educação em plena selva, os seus engenheiros, técnicos e peões tinham a mesma qualidade de água e esgoto tratado à montante da operação industrial e de suas casas, para obrigá-los a não poluir os cursos d´água. 
Foi Eduardo Antunes Ribeiro, seu sobrinho, o novo presidente da CBMM, quem recebeu a estatueta “Hugo Werneck” em nome do Dr. Antunes. Lembrou ele, na ocasião: “A história do meu tio começou em Minas Gerais. Daí essa premiação ter um valor especial para toda a nossa família”.
Quem lhe entregou o troféu, acompanhada de Luís Márcio Vianna (Sindiextra), foi a cantora Fernanda Takai, que viveu parte de sua infância também no projeto Serra do Navio.

Como nada acontece em vão...
Próxima Postagem
« Prev Post
Próxima Postagem
Próximo Post »
0 Deixe seu comentário!