Gerdau parceira







Bastante significativo, útil e informativo o livro “Serra da Moeda – Patrimônio e História”, patrocinado pela Gerdau, sobre a ecologia arqueológica, espeleológica e ambiental da região, localizada no Quadrilátero Ferrífero. Durante seu lançamento, no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal, mantido pela empresa no circuito cultural da Praça da Liberdade, na capital mineira, a parceria se mostrou frutífera, da qual também participaram a Semad e o Ministério Público. Segundo Marcus Rocha (foto), diretor da Gerdau Minerações Américas, ela reitera o compromisso de toda a organização global com a sustentabilidade: “Minas é hoje uma das nossas principais plataformas de investimentos. Esta publicação é mais uma oportunidade de agradecermos a profícua parceria que temos com o desenvolvimento do Estado, bem como nossa relação ética e responsável com os diversos públicos à nossa volta".

Créditos: 1. André Rocha / 2. Divulgação

Parsons encantado



Inglês de nascimento, o empresário John Parsons era mineiro de coração. Casado com a historiadora Anna Maria, construiu a primeira e uma das mais elegantes e emblemáticas pousadas de Tiradentes: a Solar da Ponte. Erguido na década de 1960 e aberto ao público em 1974, o empreendimento é vizinho à travessa do córrego Santo Antônio, num largo arborizado no centro histórico da cidade. Parsons, que já foi tema de matéria na edição 73 da Ecológico (para lê-la, acesse www.revistaecologico.com.br), foi um dos fundadores da Sociedade Amigos de Tiradentes. Entusiasta da causa ambiental, criou campanhas de meio ambiente, plantou árvores, preservou nascentes e se empenhou para a conservação do belo casario local. E foi um dos ambientalistas mais atuantes na luta pela preservação da Serra São José. Acometido por um câncer, o “advogado do Planeta Azul” encantou-se no último dia de junho. Não à toa, exatamente no mês em que o mundo celebra o “Dia Mundial do Meio Ambiente”e a esperança da humanidade da qual ele era seu fiel depositário.

Secretária mobilizadora



Imagem: Divulgação
Empresa notoriamente compromissada na área de educação ambiental, a ERG Engenharia, sob direção de Délio Soares,  realizou no início do mês, em BH, mais uma reunião do Comitê de Mobilização Municipal pela Educação, que ocorre mensalmente nas sedes das instituições dos seus membros. Desta vez, com a presença da secretária de Estado de Educação, a professora e militante Macaé Evaristo (na foto cumprimentando Délio Soares), sob o slogan: “Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante”. Em tempo: o prefeito Marcio Lacerda aprovou a adoção escalonada do projeto “Ecológico nas Escolas” para todos os professores e pedagogos do ensino fundamental da capital. Uma parceria que, coincidentemente, começou a ser estudada por Macaé, durante sua gestão na secretaria municipal. Como diz a Bíblia, que não cai uma só folha seca no chão do planeta que não esteja nos planos de Deus, está nas mãos da secretária a volta do projeto às 3.800 escolas públicas do Estado, interrompido temporariamente por causa da mudança de governo.

Empresário amoroso



No último almoço-palestra realizado pela Associação de Dirigentes Cristãos de Empresa (ADCE/MG), em parceria com o Sistema Fiemg/Sesi, o empresário  Euler Fuad Nejm (foto) não deixou por menos. Presidente da Rede de Supermercados Super Nosso e vice da Associação Mineira de Supermercados (Amis), ele terminou sua exposição sobre os 75 anos de história e empreendedorismo no ramo alimentar iniciado por seu pai falando de amor: “Eu levanto e vou trabalhar todos os dias renovando esse sentimento para mim mesmo, em tudo que faço. Não há outra saída”. Ainda citou Madre Teresa para terminar: “O dia mais belo é hoje. A distração mais bela é o trabalho. E a mais bela de todas as coisas: o amor!” Detalhe: não por acaso, deu overbook no almoço, o que preocupou, mas deixou feliz o anfitrião Sérgio Frade.

Embalagem sustentável



Imagem: Sanakan
A médica homeopata mineira Rita de Cássia Gomes criou uma solução sustentável para embalar a loção hidratante que desenvolveu em parceria com a farmacêutica Sheila Abreu. Leitora e colecionadora da Revista Ecológico, ela utiliza páginas da publicação, que são costuradas nas bordas, para formar uma espécie de sacolinha para acondicionar o produto e distribuir aos clientes. A mãe de Rita, dona Maria, de 84 anos, é quem faz a seleção das páginas com foto que irão compor a sacolinha. A parte de cima da embalagem é composta de dois furos, que recebem um palito de madeira reciclada para fechá-la. Uma ideia criativa que ainda proporciona ao cliente informação de qualidade, já que também é possível ler as matérias por fora. Nota 10!

CSul reconhecida



Imagem: Rossana Magri
No dia 18 de agosto, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas (Sede), Altamir Rôso, assinou um comunicado conjunto com a CSul em reconhecimento à importância do projeto de desenvolvimento urbano que será implantado na região da Lagoa dos Ingleses, nos municípios de Nova Lima e Itabirito. O documento, também assinado pelo presidente do Conselho da CSul, Roberto Mário, coloca a Sede como apoiadora institucional do empreendimento e visa gerar novos postos de trabalho e desenvolver e qualificar a mão-de-obra local dentro de um ambiente sustentável. “Queremos atuar para que o ambiente de negócios em Minas Gerais seja saudável. Isso atrai novos investimentos, como o da CSul, e cria condições para a geração de renda em diferentes regiões mineiras”, afirmou o secretário.

O adeus de Nhá Terra


Imagem: Gualter Naves
Foi na noite do último sábado de agosto. A lua crescente no céu também era uma atração à parte nas comemorações, ao ar livre, dos 35 anos de vida do Grupo Ponto de Partida em sua nova sede, em Barbacena (MG). Ao contar a história de luta e resistência da trupe mineira hoje reconhecida internacionalmente, a diretora Regina Bertola recorreu à poesia de Manoel de Barros, tão logo as luzes voltaram após um momentâneo curto-circuito que deixou o palco às escuras. Disse ela em sua alegria irradiante, fazendo referência ao público que “iluminou” a escuridão com seus celulares acesos: “Nós somos assim. Se nos tirarem as luzes, a gente convoca os vaga-lumes”.
Mal imaginaria Regina e seus companheiros que minutos depois da apresentação do espetáculo “Ser Minas tão Gerais”, ao lado de Milton Nascimento, sua irmã, a atriz Lourdes Araújo, de 57 anos, se despediria do grupo que ajudou a fundar. Ela teve um mal súbito ainda durante a encenação brilhante e morreu vítima de aneurisma abdominal na madrugada adentro de uma Barbacena que também amanheceu chorosa, imersa numa neblina triste.
Brincalhona e caricata, foi Lourdes quem interpretou a “Nhá Terra” à frente do Ponto de Partida, que homenageou a poesia ecológica de Guimarães Rosa, durante a solenidade de entrega do “V Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza”, em novembro do ano passado, no Teatro Francisco Nunes, em BH. Na ocasião, coube à atriz e mãezona do grupo a leitura do “manifesto” pela sustentabilidade humana no planeta. É o que a Ecológico reproduz aqui, em sua memória: “Há de se cuidar das nascentes e das águas que alimentam a morada dos homens. Há de se pajear os peixes e os rios, os ninhos e as florestas, as sementes e os frutos, os voos e os nascimentos, os seres minúsculos e os oceanos. Há de se tomar posse da energia que se oferta do sol e dos ventos. Nada pode tornar-se lixo. Tudo tem de ser reciclado, recomposto, reinventado. Há de se plantar árvores longamente e proteger o ar para que seja apropriado para as borboletas e os meninos”.
Em tempo: o Grupo Ponto de Partida irá abrilhantar também a sexta edição do “Prêmio Hugo Werneck”. A solenidade de premiação deste ano será no mesmo local, dia 10 de novembro, a partir das 17h. E terá como homenagem especial a memória poética ambiental de Carlos Drummond de Andrade. E a sua também, querida Lourdes, que já deve estar fazendo arte com ele, aí no céu da nossa esperança. É o que lhe deseja toda a equipe da Ecológico.