Ecológico na FDC


A partir deste mês, a Revista Ecológico estará presente em todos os campi da Fundação Dom Cabral. A iniciativa faz parte de uma cooperação inédita, que busca levar o conteúdo da revista aos públicos altamente formadores e multiplicadores de opinião que frequentam a FDC.

Trata-se de uma iniciativa alinhada ao Planejamento Estratégico do Comitê de Sustentabilidade e Inclusão Social da instituição. Para ela, o conteúdo e a distribuição da revista estão “em consonância com os objetivos estratégicos do comitê: praticar, no qual a FDC busca ‘ser exemplo na prática da sustentabilidade em toda a organização’, agindo através da promoção ‘do entendimento compartilhado da sustentabilidade econômica, sociocultural e ambiental. Capacitando todos os colaboradores, mobilizando-os para sua aplicação no trabalho, estimulando a responsabilidade individual e apoiando o voluntariado’”. Bem como o objetivo de educar, no qual a FDC acredita ser responsável por ”educar organizações, executivos e gestores públicos para a geração de valor sustentável, nos negócios e na sociedade”. A FDC é apoiadora tanto da Revista Ecológico quanto do “Prêmio Hugo Werneck deSustentabilidade & Amor à Natureza”, promovido anualmente pelo Grupo Ecológico, o que justifica a distribuição gratuita dos exemplares aos colaboradores e participantes da instituição. 

Tubismo V


Para marcar as comemorações do Dia Nacional do Aço, celebrado em nove de abril, a Gerdau preparou uma programação inédita até o dia 10 de maio no MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, em BH. Trata-se da exposição “Tubismo V”, com obras do artista plástico Ricardo Carvão. Presente em muitos dos seus trabalhos desde 1979, o aço é uma matéria-prima marcante na trajetória de Carvão. A mostra será realizada no hall de entrada e no TerrAÇO, último andar do  MM Gerdau na Praça da Liberdade.

Clubes Unidos pelo Planeta

Sensibilizar os jogadores e as torcidas organizadas a abraçarem e divulgarem a causa ambiental. Esse é o objetivo da iniciativa “Clubes Unidos pelo Planeta”. Uma ação realizada pela Revista Ecológico, e que conta com o apoio dos três maiores times mineiros: América, Atlético e Cruzeiro.
Nomes como os dos jogadores Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Obina já apoiaram a causa durante suas passagens pelos clubes de Minas. Sob o lema“Eu visto esta camisa. Sou Ecológico”, a ideia é que o assunto sustentabilidade faça parte do grito de torcida, e provoque assim, uma mudança de comportamento em busca da nossa sustentabilidade.
Para isso, bastará todo e qualquer torcedor acessar a expressão “Sou Ecológico”, na web, para saber como anda a situação ambiental à sua volta. E o que ele pode fazer, como cidadão conscientizado, pela preservação da natureza e a melhoria da sua qualidade de vida.
Foi graças à união dos times mineiros nos governos Hélio Garcia e Sérgio Ferrara, que suas respectivas torcidas, quando perdiam os jogos, deixaram de quebrar até 78% do total de árvores que a Prefeitura plantava sistematicamente ao longo das avenidas Catalão e Antônio Carlos, em Belo Horizonte.
O torcedor que quiser ganhar o novo e ecológico adesivo do seu clube preferido é só entrar em contato conosco
Faça parte dessa campanha!

Em tempo

Em tempo

O prefeito Marcio Lacerda desistiu de incluir na nova lei orgânica da capital mineira, em discussão, seu projeto original de aproveitar 15% de todas as áreas verdes municipais possíveis, leia-se parques e reservas ecológicas, para outras destinações urbanísticas, como “Minha Casa, Minha Vida”, construção de escolas, postos de saúde etc. Ele prefere discutir caso a caso, e de maneira pontual, sempre que surgir uma possibilidade real nesse sentido. Ou seja, com tempo e sustentabilidade.

A natureza agradece.

Amda elogia Nova Lima por Fechos


A Associação Mineira de Defesa do Ambiente parabenizou o prefeito Cassinho Magnani pela criação do Parque Natural Municipal de Fechos, em área contígua à Estação Ecológica de mesmo nome, que protege importante manancial de abastecimento de água da Copasa na Região Metropolitana de BH. A área pertence à Prefeitura Municipal da capital mineira e a notícia de sua venda para outros fins gerou revolta e polêmica.

Na década de 1950, quando pouco ainda se falava na importância da proteção ambiental, a PBH adquiriu um conjunto de lotes do bairro Jardim Canadá, na bacia do Ribeirão de Fechos. O objetivo, na época, foi justamente evitar sua ocupação e urbanização. Meio século depois, em plena crise hídrica, quase que essa área verde se perde. Com a criação surpreendente do parque, por parte da Prefeitura de Nova Lima, ela agora se tornou de preservação permanente, garantindo a proteção de todo o manancial. A Ecológico aplaude também!

Foto: Graças à Prefeitura de Nova Lima, a criação do parque garantirá a preservação de 196 mil metros quadrados de área verde - Crédito/Imagem: Fernanda Mann