Ficus vive


POLÊMICA Nas mãos de Lacerda, a solução
O prefeito Marcio Lacerda tem uma chance de ouro para reverter as críticas à administração municipal alimentadas pelos gigantescos ficus que vêm morrendo de velhice e atacados pela praga da mosca branca na capital mineira. A receita é simples e já foi implementada com sucesso, por ele mesmo, durante as obras viárias para a Copa das Confederações, o que lhe valeu o “Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade ´2011”: plantar três novas mudas para cada árvore adulta morta ou condenada.

Viva ficus

Lugar pra plantar e vê-las crescerem, em toda a sua majestade, sem causar qualquer conflito com a fiação, carros e pedestres, é o que não falta: a chamada Linha Verde, que liga o centro de BH ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, não tem nada de verde. Só grama e algumas palmeiras, tipo “paisagismo à Miami”, que não dão frutos nem atraem os passarinhos. Muito menos proporcionam sombra e um clima mais ameno aos motoristas e funcionários da Cidade Administrativa, ali engarrafados diariamente.  

Caminho novo


A Revista ECOLÓGICO recebeu a visita da diretora técnica da Associação das Caminhantes da Estrada Real (ACER), a artista plástica e pedagoga Ivone Diniz (foto). Ela adiantou, com exclusividade, que até o final de agosto, todo o percurso do Caminho Novo, aberto no Século XVII pelos bandeirantes de Paraty a Ouro Preto, terá sido atingido.

Entidade sem fins lucrativos, a ACER reúne 70 mulheres caminhantes, que percorrem a Estrada Real e seu entorno, promovendo o turismo sustentável. A entidade também abraça o Projeto “Árvore é Vida”, registrado na ONU, idealizado pela International Federation of Business and Professional Womem (BPW) e presente em 90 países.  A meta ecológica, com apoio do governo e dos empresários, aliada à ajuda das prefeituras, é alcançar o plantio de um milhão de árvores ao longo das estradas de Minas. 

Turismo religioso e democrático


União Dom Walmor e Anastasia, juntos, na mesma fé
Impressionante o “périplo multidiversificado” de Anastasia. Em plena efervescência do corte de orçamento e pastas que impôs ao Estado e deu exemplo para o país, ele subiu a Serra da Piedade e, na companhia do arcebispo metropolitano dom Walmor Oliveira e do secretário de Turismo, Agostinho Patrus, fez dois anúncios históricos.
O primeiro foi liberar mais R$ 2 milhões para a restauração do Santuário de Nossa Senhora da Piedade, a Padroeira de Minas. O segundo, sinalizar o projeto de ligação do Caminho Religioso da Estrada Real (CRER) até Aparecida do Norte, em São Paulo, passando pela terra de Nhá Chica (Baependi).

Compostela Mineira
Marcelo Aposta no caminho das três santas juntas
Tudo perfeito para também termos o nosso Caminho de Compostela. Quem mais aposta nesta esperança é Marcelo Faria Pereira, prefeito de Baependi, para quem esse sonho real tem de ser sonhado junto. Ele aposta na sensibilidade do governador, que é devoto da Santa dos Pobres, Nhá Chica, e esteve presente à missa de sua beatificação (olhe a coincidência, tamanha conspiração divina!). E pode, com isso, incluir o Sul de Minas nesta peregrinação de futuro real para a explosão socio-econômica do nosso turismo religioso.

Nossas senhoras da Piedade e Aparecida, mais Nhá Chica, a Santa de Baependi, juntas.

Saudades deles!

A conhecida arrogância humana, lato sensu, significa alguém atribuir para si toda a capacidade e legitimidade de fazer ou resolver algo.Segundo o Aurélio, “altivez, soberba, orgulho”. Que o diga o governador do Rio, Sérgio Cabral, que colhe os frutos dessa desecologia comportamental. E fez inaugurar uma onda de protestos contra outros políticos, condenados pela opinião pública. Tudo por não se mirarem na simplicidade e humildade do Papa Francisco, como JK e Tancredo Neves já sabiam e praticavam desde os tempos mais eclesiásticos.

Fotos da esq. para direita: Tomaz Silva/ABR; Domínio Público; Cidadão de Minas

Sinbio

Para marcar os 150 anos de atuação e sua consolidação como uma das mais importantes instituições de ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências Agrárias e Ambientais, a Universidade de Lavras (UFLA) irá realizar e sediar, de primeiro a quatro de setembro, o I Simpósio Internacional de Biodiversidade – SINBIO´2013. O evento fará parte da programação da Semana de Ciência, Cultura e Arte. À frente do evento, o reitor José  Scolforo (foto), um dos mais respeitados engenheiros florestais do país.


O que um pulmão verde não faz!

O prefeito de Nova Lima e o de BH, umbilicalmente unidos pelo pulmão verde, como vem sendo chamado o Complexo Ambiental da Serra do Curral, ainda bastante preservado na forma de Unidades de Conservação (UCs), encontraram-se recentemente para discutir soluções para a mobilidade urbana. Marcio Lacerda anunciou o projeto de expansão do metrô da capital que contempla uma estação até o BH Shopping, a ser executada no início do ano que vem. E parabenizou o município vizinho pela indicação da ONU como o de maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) de Minas:“Vim até aqui aprender um pouquinho”. Cassinho Magnani, por sua vez, falou do projeto de uma Via Expressa, interligando as duas cidades para desafogar o trânsito no Vetor Sul. “É necessário e urgente buscarmos soluções conjuntas para esse problema, inclusive para que possamos continuar crescendo de forma sustentável”- pontuou.

Vem coisa boa por aí!

*Foto: Wellington Oliveira

Solução à vista

Entre as várias razões levantadas para retirar as capivaras da orla da Lagoa da Pampulha, uma delas, a de preservar os jardins idealizados por Burle Marx em frente ao Museu de Arte Moderna, é de doer. Isso porque a prefeitura reluta em adotar a solução mais simples e econômica: cercar e proteger os jardins destes roedores, como está acontecendo provisoriamente. Motivo alegado: o paisagismo ali é tombado pelo patrimônio. Ué? E os anos a fio, sem capivaras, que eles ficaram abandonados e órgãos oficiais nem ligaram pra isso?

Ministra irá presidir o “Oscar da Ecologia´2013”

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, já tem data e local marcados para voltar a BH: será no dia nove de dezembro, no ex-Cine Theatro Brasil. O novo espaço artístico-cultural, em art déco da capital mineira, será o palco da solenidade de entrega do "Oscar da Ecologia´2013".
Ao confirmar sua presença, como presidenta do evento, ela reafirmou que o Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza "é um compromisso, não só com a vida e o planeta, mas com os mineiros.E isso faz muita diferença no Brasil!" 
Izabella também garantiu que continua pensando em escrever suas memórias, nada eróticas, intituladas "Os 50 Tons de Verde", como brincou no evento do ano passado, realizado no auditório do Sesc Palladium.
As inscrições de projetos, exemplos e indicações de cases, empresas e personalidades do mundo sustentável brasileiro já começaram e vão até o dia quatro de novembro, pelo site www.premiohugowerneck.com.br. Realizada pelos ambientalistas, através do Centro Hugo Werneck de Proteção à Natureza, a premiação – inédita no país - tem o apoio institucional do Ministério do Meio Ambiente, do Governo de Minas (Semad, Feam, Igam e IEF), da Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda), da Fecomércio, Fiemg (Minas Sustentável), Fundação Dom Cabral, Sucesu Minas e Prefeitura de Belo Horizonte.


Memória histórica 
O ex-Cine Theatro Brasil, quando ainda existia jardim na Praça Sete, em restauração pela Vallourec, que irá cedê-lo para a festa do "Oscar" deste ano. A ilustração da gravata borboleta é uma referência a esses anos dourados da capital mineira.

Estou com as capivaras



LIBERDADE E DEMOCRACIA também para as capivaras
Foto: Adriano Fernandes
O prefeito Marcio Lacerda, o vice Délio Malheiros (que nem é citado pela imprensa e, mas deveria, como novo secretário de Meio Ambiente de BH), e o superintendente do Ibama, Evandro Xavier, estou do lado das capivaras e de todos os outros animais, pássaros e borboletas que voltaram à paisagem da Lagoa da Pampulha poluída.
Se turistas brasileiros e de todo o mundo pagam caro para ver as capivaras, em estado de liberdade no nosso Pantanal cada dia mais urbanizado, os belo-horizontinos deveriam agradecer à natureza por tê-las aqui, sem custo algum para alimentá-las e protegê-las. Se a questão pontual é salvar os jardins de Burle Marx, que sempre foram abandonados, e a opinião pública pouco se lixava, que o poder público os cerquem e ponto final. Agora, como está sendo proposto, separar 75% das 140 capivaras que hoje enfeitam o redor da lagoa e levá-las não se sabe pra onde, possivelmente abatê-las, é como assistirmos uma versão animal dos campos de concentração nazistas, onde se separaram pais e filhos, nesta mesma matemática.
Essa é a pergunta ecológica: os técnicos sabem quem é quem no meio das capivaras? Gostariam que fizessem o mesmo com suas famílias?

S.O.S. Lacerda, Malheiros e Xavier! Façam cair sobre todos nós a compreensão maior e aliada da  natureza.

A César o que é de César

A César o que é de César
Uma promoção, diz o ditado, vale mais que mil palavras. Várias promoções repetidas e melhoradas ao longo do tempo, com foco, competência e profissionalismo, valem o sucesso repetido do Conexão Empresarial, já na sua quarta edição, que os jornalistas pai e filho Paulo César (PCO) e Gustavo de Oliveira (GCO), diretores e editores da Revista Viver, da VB Comunicação, conseguem fazer, envolvendo o mundo econômico, político e social mineiro e brasileiro à sua volta. O último evento, ocorrido mês passado, com toda a pompa e circunstância na beleza do Tauá Grande Hotel de Araxá, comprovou esta inegável competência. Densidade política (um ministro, três governadores e vários prefeitos discutido os rumos do Governo Dilma). Densidade econômica (vários economistas de renome debatendo corajosamente o fantasma da inflação). Densidade social (empresários, jornalistas e personalidades se reunindo, fazendo negócios, contando casos, estreitando as parcerias e fortalecendo as amizades). Tudo isso, regado à boa música, atrações artísticas, massagens anti-estresse e banhos medicinais com a mesma lama preta que embelezou e preservou Dona Beja. Com um detalhe fundamental, pra não dizer etiqueta estratégica e necessária, a velha educação que os nossos pais e avós nos ensinaram de tempos idos e mais dourados: a arte de receber bem. Tudo em grande estilo!
Este é o segredo revelado, simples e capaz de realizar milagres: prestigiar as pessoas, tratá-las bem. No caso, este ano, mais de 500 convidados, levados e trazidos de avião, durante quatro dias, no maior forum de debates do Estado. Um trabalho que envolveu 70 colaboradores, trabalhando quatro meses antes, uma vez que até os guardanapos, flores e velas que deram classe ao evento são levados de BH. Dar atenção para colher atenção, com qualidade, desde a ida até a volta, somado a um “Fiquem com Deus”!
Fé, mineiridade e ecologia social é isso aí.

Parabéns!

Santander bi-sustentável



O Financial Times e o IFC (International Finance Corporation) elegeram o Grupo Santander, o banco mais sustentável do mundo em 2012; e o Santander Brasil, o banco mais sustentável das Américas. Com relação à instituição brasileira, em particular, a premiação é fruto dos seus avanços em três eixos fundamentais: inclusão social e financeira; educação; e negócios socioambientais. “Estamos no caminho certo” – comemorou Marcus Madureira, diretor-executivo de Comunicação Corporativa, Relações Institucionais e Sustentabilidade. O nome do seu cargo é coerente.

Vale hídrica

Vale hídrica


Conforme seu último Relatório de Sustentabilidade, a Vale avançou no uso eficiente da água em suas operações. Ano passado, o índice médio de recirculação hídrica foi de 77%, um aumento de sete pontos percentuais em relação a 2011. Com isso, a mineradora deixou de captar 1,227 bilhão de m3 de água de fontes naturais, equivalente a duas vezes o consumo anual da Cidade do Rio de Janeiro, resultado de sua aposta em novas tecnologias. Somente em 2012, foram investidos US$ 125,9 milhões na gestão ambiental e sustentável de seus recursos hídricos.

Ecologia política

Ecologia política


“O voto simples já era. O voto secreto já era. Pela Constituição Mineira, tudo agora será pelo voto nominal e aberto, inclusive para a eleição da Mesa” – foi como o deputado Dinis Pinheiro, presidente da ALMG, comemorou o fim do voto secreto, com votação unânime, colocando Minas historicamente à frente dos demais estados brasileiros. Ainda acrescentou, em resposta à pressão popular: “Nosso compromisso não é com o erro, mas com o futuro, com a juventude e a sociedade”.