Só Anastasia salva



Os moradores de Santana do Riacho estão certos ao quererem a retirada de tramitação do Projeto de Lei 142/2011 na ALMG, visto como uma pasma ameaça à vida do Rio Cipó e seus 104 afluentes considerados de preservação permanente. Eles são contrários ao substitutivo apresentado pelo deputado Almir Paraca (PT) que altera a Lei 15.082, de 2004, excluindo a sua proteção ambiental. 

“Nós não vamos aceitar manobra ou subterfúgio algum para prejudicar estes cursos d’água e o povo da região” – garantiu seu colega de partido, o deputado Pompilio Canavez, durante visita in loco da Comissão de Direitos Humanos da ALMG.
Ele lembrou que é a segunda vez que isto é tentado, em nome de se alterar a classificação de outro rio, em Ponte Nova, na mesma bacia hidrográfica. A tentativa, frustada, ocorreu em 2011. O governador Anastasia vetou. Para o aplauso também póstumo de Hugo Werneck, que, aliado a Angelo e Célio, no início dos anos setenta, lutou e conseguiu uma vitória emblemática na história ambiental do país. A transformação de 33,8 mil hectares da porção mineira e maravilhosa do Espinhaço, que começa justamente no município de Santana do Riacho, no hoje legalmente preservado Parque Nacional da Serra do Cipó, protegido pelo Ibama e administrado pelo Instituto Chico Mendes.
Próxima Postagem
« Prev Post
Próxima Postagem
Próximo Post »
0 Deixe seu comentário!