Ronaldo desdenha BBB e Vasco esverdeia Lacerda





Clique na foto para ampliar

Ao abrir o seminário sobre “A Informação e o Meio Ambiente, Ronaldo Vasconcellos, presidente da ONG Ponto Terra e ex-secretário municipal de Meio Ambiente foi conclusivo: “Ter acesso a qualquer informação transformadora é melhor que assistir BBB”. Já o atual secretário-adjunto de Meio Ambiente de BH, Vasco Oliveira de Araújo, roubou a cena, pela sua sinceridade e emoção. Segundo ele, esse tipo de informação, ambiental ou ecológica, só se efetiva na cabeça das pessoas transportando-as para uma nova visão de mundo se, ao mesmo tempo, ela for capaz de tocar o coração das pessoas:
“Eu não sou especialista no assunto. Sou apenas cirurgião-dentista. Mas o pouco tempo envolvido com a área ambiental me modificou e me motiva de uma maneira profunda e surpreendente. Eu fico super-feliz, por exemplo, em saber que BH já tem 20 mil m2 de área verde por habitante, dois mil a mais do mínimo de qualidade de vida preconizado pela ONU. E de poder contribuir com o nosso prefeito na sua promessa, que vem sendo cumprida, de plantarmos 10.440 novas árvores na região da Pampulha, para compensar o que se tirou de verde ao redor do Mineirão. Acho que  Hugo Werneck também ficaria feliz com esta informação.”

Em tempo: Hugo, a quem a Revista ECOLÓGICO é dedicada e se inspira à cada lua cheia,  também era dentista. E à frente do Centro para a Conservação da Natureza em Minas Gerais, a primeira ONG ambientalista na América Latina que ele criou na companhia de Angelo Machado e Célio Vale, tornou-se um dos “pais” do ambientalismo brasileiro.

Para quem não conhece sua história, esse dentista-ambientalista também formado em amor, significa para Minas, o que Chico Mendes representa para a Amazônia e o país. Ambos, para o mundo.
Próxima Postagem
« Prev Post
Próxima Postagem
Próximo Post »
3 Deixe seu comentário!
Este comentário foi removido pelo autor. - Hapus
avatar

Vergonhosa a fala do Ronaldo Vasconcellos, pois todo ser político, que tem uma visão crítica das coisas, não precisa necessariamente deixar de conter seus prazeres em prol de alguma coisa, pois além de ter entendimento sobre determinado assunto, provavelmente ele procura buscar o conhecimento diverso. E quanto à fala do atual secretário-adjunto de Meio Ambiente de BH, Vasco Oliveira de Araújo, me pergunto o que um cirurgião--dentista faz como secretário de Meio Ambiente. Outra coisa é o fato dele apresentar um fato que, apesar de correto, é desnecessário. Apesar de BH poder ser considerada uma cidade arborizada, nossa capital é uma das cidades que contém o ar mais poluído do Brasil. Digamos que por mais que esse dado seja elevado, é insuficiente. Quanto à ação do prefeito, de implantar árvores para retribuir as que foram derrubadas, é ridículo da parte dele - e de todos que com ele concorda - acreditar que realmente estará retribuindo alguma coisa, pois nada pode compensar a perda de árvores nativas e de grande porte que levaram anos para se adaptar e atingir o tamanho que elas tinham atingido. Se Hugo Werneck, quando em vida, tiver sido realmente um ambientalista que se preze, creio que ele estaria não feliz, mas envergonhado com essa publicação. E que ele esteja em paz.
Thaianne Vieira, Aluna da Escola Estadual Madre Carmelita, 2ºD

Balas
avatar

É impressionante o despreparo e desconhecimento do Secretário adjunto do Meio Ambiente de BH. Em primeiro lugar se não é especialista, não deveria estar ocupando o cargo. Segundo, já em 2009 pesquisa feita pela USP com dados defasados de nossas áreas verdes já constatava a verticalização e urbanização aceleradas, sem preocupação ambiental e a degradação ambiental da nossa cidade, além da constatação de que os índices de área verde estão diminuindo. Outro fato alarmante e grave é que BH detém o pior índice de poluição do Brasil atingindo a pior concentração de monóxido de carbono entre sete das regiões metropolitanas analisadas, incluindo SP e RJ (Fonte: FEAM). Os belohorizontinos têm uma expectativa de vida em torno de 1,5 2,0 anos de vida a menos devido ao alto índice de poluição do ar, cuja fonte principal concentra-se nos ônibus que circulam na capital. As pessoas com problemas respiratórios que saem de BH têm uma melhora considerável (e pensar que já foi o contrário...). Quanto ao replantio de árvores para suprir o Mineirão é uma BARBARIDADE a fala do Secretário VASCO ARAÚJO, desde quando uma vida substitui outra? As árvores do Mineirão eram de grande porte e não serão substituídas nunca, até porque para que isso acontecesse para cada árvore "assassinada" seriam necessárias duas do mesmo porte e nativas. Será que o secretário tem conhecimento que as mudas plantadas na capital não têm acompanhamento e 1/3 são mortas? E para encerrar,BH pode ter mais casos de câncer de pele do que cidades do litoral e uma das hipóteses é o aumento da temperatura da capital em 1,5ºC nos últimos 100 anos e a baixa umidade do ar. Em tempo: Isso, antes da retirada das árvores do Mineirão. Volta pro consultório Secretário! Quanto à escolha do Prefeito, não nos surpreende de Sustentabilidade ele não conhece nada,aliás,como a maior parte dos nossos políticos. Lastimável a matéria. No que diz respeito à infeliz comparação do Sr. Ronaldo Vasconcelos... Sem comentários.
Profª Andrea Mello - Especialista em Educação Ambiental

Balas