Parou por quê?




Novos desafios para o futuro titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de BH: saber porque parou e retomar urgentemente o plantio das 54 mil novas árvores na paisagem árida da capital mineira. Esse avanço vergel foi prometido e iniciado na primeira gestão de Marcio Lacerda para compensar as 18 mil árvores já frondosas mutiladas por causa das obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo. Esse comprometimento ecológico corajoso, na base de três novas árvores para cada uma derrubada, com o voto de confiança dos ambientalistas que não podem ser esquecidos,  valeu o “Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza”, o “Oscar da Ecologia´2012, na categoria “Melhor Político” a Lacerda em meio à revolta da população, na época, contra a diminuição explicada, mas doída, da arborização da capital.

Primeiros frutos
Se o prefeito, em sua nova gestão, quiser recuperar o ânimo pelo verde, vide o inferno em vigor das mudanças climáticas, basta ele ir na Praça da Papa. Foi ali, bem-humorado e na companhia de jornalistas e ambientalistas, que ele inaugurou a promessa das 54 mil árvores. É ali, no ponto mais nobre da zona sul, que quase meia centena de ipês bem cuidados já esboçam um bosque vigoroso, dão sombra e prometem uma primavera inaugural este ano. Por que não em toda a cidade, onde este mesmo sonho pode ser real, democrático e inclusivo?
Próxima Postagem
« Prev Post
Próxima Postagem
Próximo Post »
0 Deixe seu comentário!