Bons exemplos 2017


A ambientalista Maria Dalce Ricas, superintendente da Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda), e o empresário Alexandre Poni, presidente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), encabeçam a lista das personalidades vencedoras da edição 2017 do “Prêmio Bom Exemplo”, da TV Globo Minas.

Além de ambientalista histórica e, literalmente, “apagadora” de incêndios florestais em nossas montanhas, Dalce é integrante do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), articulista e conselheira editorial da Revista Ecológico. Coube a ela, durante anos, a criação, gestão e divulgação, sempre no Dia Mundial do Meio Ambiente, da famosa e temida “Lista Suja” das empresas mais poluidoras do Estado. A lista foi um divisor de águas para a consciência ambiental no meio empresarial.

Já Alexandre Poni é o vencedor na categoria “Economia e Desenvolvimento”, por ter aberto as portas das grandes redes de supermercados para pequenos empreendedores, agricultores familiares e artesãos. Criador e diretor da Rede Verdemar de Supermercados, hoje o maior exemplo de sustentabilidade do setor, ele foi o primeiro empresário a receber, em 2010, o “Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza” na categoria “Melhor Empresa”. E, em parceria, já há dois anos, distribuir a Ecológico aos seus clientes.


Parabéns verdes! 

Angelo Honorário


Divulgação
No último dia 10, o professor Angelo Machado recebeu o título de “Biólogo Honorário” do Conselho Federal de Biologia (CFBio) por sua contribuição à sociedade em diferentes campos das ciências biológicas. Aos 83 anos, Angelo, que também é médico, entomólogo e escritor, foi homenageado em 2010 como “Personalidade do Ano”, na primeira edição do “Prêmio Hugo Werneck”.

Mais que merecido!  

Novo nome



Divulgação
Diante da mudança em prol de um modelo mais privativo e não mais de ingerência política prevista para a Vale, a partir de maio próximo, com a saída de Murilo Ferreira, um nome técnico já vem sendo ventilado nas bancas de aposta. Trata-se do geólogo e engenheiro de Minas Carlos Gonzalez, quem primeiro destravou e deixou irreversível o Minas-Rio, hoje da Anglo American, o segundo maior projeto de mineração em execução no país. Ao longo de 12 anos, Gonzalez foi COO (Chief Operating Officer) e diretor de Expansão da Vale durante a bem-sucedida implantação do Projeto Carajás, no Pará. 

Mudanças minerais



Formado em Economia e pós-graduado em Planejamento do Setor Público, o executivo Walter Batista Alvarenga, que já ocupava interinamente o cargo desde novembro de 2016, é o novo presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). Já tendo ocupado vários cargos no governo federal, ele substitui Fernando Coura, que não conseguiu se desligar totalmente da pasta para a qual tanto trabalhou em Brasília, diante da pouca presença política de Minas. Por isso, Coura também se tornou, pela primeira vez na história do órgão, seu presidente de honra. O que valeu a saudação de Clovis Torres Júnior, presidente do Conselho Diretor do Ibram e diretor-executivo da Vale:  “A eleição de Walter Alvarenga, em conjunto com Coura, indica continuidade das ações e, também, a realização de um trabalho de representatividade da indústria mineral”.

O Sindiextra e Dom Silvério agradecem!


Ponto Terra promove ciclo de palestras sobre licenciamento ambiental


evento sobre licenciamento ambiental em BH
No próximo dia 31 de março, em comemoração aos 17 anos da Ponto Terra, acontece no auditório do CREA/MG, em Belo Horizonte, o ciclo de palestras “Licenciamento Ambiental”.

O evento será gratuito e tem o objetivo de promover a discussão sobre o Licenciamento ambiental nas esferas municipal, estadual e federal. Na ocasião, serão realizadas apresentações com especialistas nos âmbitos do poder público, privado e das instituições acadêmicas.

Na esfera federal, o Ciclo de Palestras deve contar com a presença do Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho. Já a esfera estadual será representada por Jairo Isaac, Secretário Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e por Germano Luiz Gomes Vieira, Secretário Adjunto.

Para fortalecer os atuantes da área em Belo Horizonte, foram convidados 4 participantes de peso que discutirão o Licenciamento Ambiental. São eles: Sérgio Myssior (Arquiteto e Urbanista), Ariadne Lima (Especialista em Direito Ambiental), Lucas Gariglio (Engenheiro Sanitarista), Osias Baptista (Consultor).

A mediação da mesa Licenciamento Ambiental Municipal será feita pelo presidente da Ponto Terra,  Ronaldo Vasconcellos.



Programação:
08h30 – Credenciamento
9h – Abertura
12h30 – Encerramento

Serviço
Data: 31 de março de 2017
Horário: 8h30 às 12h30
Local: Auditório do CREA/MG – Rua Álvares Cabral, 1600, bairro Santo Agostinho (próximo à ALMG – Belo Horizonte/MG

Inscrições e informações: (31) 3275-3929 ou pontoterra@pontoterra.org.br

Consumo de magnésio ajuda a combater a depressão




Recente pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde(OMS) revelou que o Brasil tem a maior taxa de pessoas com depressão na América Latina, e uma média, que supera os índices mundiais. Os dados publicados apontam que 5,8% da população nacional seja afetada pela doença.

O acompanhamento médico é fundamental, mas estudos apontam também que determinadas vitaminas e minerais podem ajudar no combate à depressão.

Dentre eles, o magnésio se destaca. O mineral é um regulador do sistema nervoso que previne a insônia, a ansiedade, a hiperatividade, o estresse e a depressão. 

O magnésio pode ser encontrado nos seguintes alimentos: frutas como uva, banana e abacate; grãos e derivados como a granola, gérmen de trigo e aveia; sementes e nozes como gergelim, amendoim, girassol castanha e amendoim, além de leite, soja, grão de bico, pão, peixes, batata, beterraba, couve e espinafre.

Consumidor deve ficar atento à economia de energia com o fim do horário de verão



Para evitar gastos excessivos, é importante saber a potência dos equipamentos e o tempo de uso de cada um deles

Com o fim do horário de verão no último fim de semana, a Cemig destaca que seus consumidores devem continuar economizando. São situações simples que, se colocadas em prática de forma rotineira pela população, podem reduzir o valor da conta de energia e utilizar melhor a água dos reservatórios. 

Para evitar gastos excessivos que podem pesar no bolso, é importante saber que o consumo de energia elétrica depende de duas principais variáveis: a potência dos equipamentos e o tempo de uso de cada um deles. Logo, abrir diversas vezes a porta da geladeira, tomar banhos demorados ou manter o ar-condicionado ligado em ambientes abertos podem aumentar o consumo.

O engenheiro de Soluções Energéticas da Cemig, Luciano Barreto, destaca que se cada consumidor economizar, mensalmente, o mínimo que seja, os benefícios para o meio ambiente serão imensos. 

“A Cemig possui hoje 8,2 milhões de clientes. Considerando que a média de gasto mensal por residência é de 120 quilowatt-hora (kWh), se cada residência reduzir 1 kWh por mês serão 8,2 milhões de kWh economizados no estado. O suficiente para atender uma cidade de mais 250 mil habitantes por mês. Todo mundo ganha e a natureza agradece”, comenta.

Dicas importantes:

Geladeira: evitar guardar objetos quentes dentro da geladeira e realizar a manutenção das borrachas da porta, caso necessário. Limpar e fazer o degelo periodicamente como recomenda o fabricante é outra medida que ajuda a diminuir o consumo de energia. O excesso de gelo e a disposição de alimentos ainda quentes no interior da geladeira forçam o equipamento e elevam o consumo de eletricidade.

Stand by: aparelhos em stand-by também são responsáveis por gastos desnecessários de energia. A orientação é de que os aparelhos sejam desligados, caso não estejam em uso constante. Micro-ondas, máquinas de lavar e televisores (caso exista mais de um na residência), podem permanecer desconectados das tomadas ajudando na redução do consumo.

Iluminação: uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75% em comparação a uma lâmpada incandescente de luminosidade equivalente. Se a opção for por uma lâmpada de LED, essa economia sobe para 85%.

Simulador de consumo
Se o cliente da Cemig desejar obter uma estimativa do consumo elétrico da sua residência, saiba que é possível realizar o cálculo no site da empresa. O simulador online disponibiliza uma lista de aparelhos eletroeletrônicos variados e solicita o preenchimento de campos com informações referentes a quantidade, potência, dias de uso dos aparelhos e tempo de uso por dia.

Texto extraído do site do Governo de Minas


Rádio 100% meio ambiente


Rádio com notícias sobre meio ambiente
Ouvir uma rádio que toca música de qualidade e ainda deixa o ouvinte por dentro das últimas notícias relacionadas à área ambiental. Essa é a proposta da Rádio Web Ponto Terra, inaugurada em novembro e cujo slogan é “100% meio ambiente”. A emissora é uma iniciativa da ONG Ponto Terra, dirigida pelo presidente do Partido Verde (PV) de Minas Gerais, Ronaldo Vasconcellos. O político que tem uma sólida experiência na área ambiental é um dos apresentadores do canal que possui 24 horas de programação. A emissora pode ser acessada pelo link www.radioponterra.16mb.com, e também está disponível para celulares e tablets no Google Play e na Apple Store por meio do aplicativo iRádios.

O grito infinito da natureza x Donald Trump

“O grito”,  de Edvard Munch, e o “não escutar” do novo governo americano: desespero existencial

Fazendo par com a “Mona Lisa” de Leonardo da Vinci, com status de ícone cultural, o célebre quadro “O Grito” é uma das obras mais importantes do movimento artístico expressionista. Pintado em 1893 pelo norueguês Edvard Munch, ele representa uma figura andrógina num momento de profunda angústia e desespero existencial. O plano de fundo é a doca de Oslofjord, em Oslo, ao pôr do sol.

A fonte de inspiração do artista, filho de um pai controlador, foi a sua própria vida pessoal, com conflitos internos de toda ordem. Quando criança, viu sua mãe e sua irmã morrerem. Outra irmã foi internada em hospital psiquiátrico. E por aí afora, tal como ele descreveu sobre o seu famoso e intrigante quadro:
“Passeava com dois amigos ao pôr do sol. O céu ficou de súbito vermelho-sangue. Eu parei, exausto, e inclinei-me sobre a mureta. Havia sangue e línguas de fogo sobre o azul escuro do fjord e sobre a cidade. Os meus amigos continuaram, mas eu fiquei ali a tremer de ansiedade. Foi quando senti o grito infinito da Natureza” .

Foi nesta obra que a Revista Ecológico buscou inspiração visual para produzir a reportagem de capa desta edição, sobre o que a humanidade pode esperar do novo presidente da segunda potência mais poluidora do planeta.
Edvard Munch não está aqui para se defender. Mas, a partir da nossa realidade planetária, do sistema solar conhecido, não existe o grito infinito da natureza. Mas, sim, o seu grito finito, vide que a extinção da vida e de qualquer ser vivo, incluindo nós no final da pirâmide, é para sempre! Coisa que a maioria dos nossos políticos, tal como Trump, não consegue entender. Aceitar, enfim, que o planeta sobrevive sem nós, e não o contrário. Que quem tem de ser salvo primeiro, nesta ordem, é a Terra e não o ser humano.

É muito para a nossa arrogância?

O filme “Trump” já começou. Mas o the end pode ser mudado.

Ainda!